Qual o perfil e as preferências de quem está a procurar casa em Portugal?

Inquérito do idealista mostra resultados e aponta tendências no mercado residencial nacional, de compra e arrendamento.

Freepik
Freepik

Mulher, entre 36 e 45 anos, que vive em casal, tem filhos e um contrato de trabalho por tempo indeterminado – este é o perfil médio de quem procura casa para comprar em Portugal. E quais as preferências e tendências, em termos de localização, tipologias e interesses na hora de procurar casa, seja para comprar ou arrendar? Revelamos agora os resultados de um inquérito realizado pelo idealista, respondido por mais de 2.000 utilizadores que procuravam habitação na plataforma, no arranque de 2021.

Ainda que a pandemia não tenha provocado o que se poderia chamar de uma mudança radical de tendências, o estudo mostra que originou, de facto, uma alteração nas preferências de quem procura casa: cerca de um quinto das pessoas mudou de critérios e motivações. Um dos fatores em destaque na hora de encontrar um novo lar é agora a melhoria de qualidade de vida com 40,1% de respostas.

“O inquérito confirma com dados as tendências de mercado que temos vindo a apresentar no idealista. O confinamento fez com que muitos portugueses se dessem conta de que não estão totalmente satisfeitos com as suas casas e que preferiam viver em zonas menos centrais em troca de mais metros quadrados, mais luminosidade, jardins ou terraços”, analisa Ruben Marques, porta-voz do idealista.

Além disso, acrescenta, “o facto de dois terços das pessoas que procuram casa para comprar já serem proprietários de, pelo menos, uma outra casa, poderá ter a ver com o facto de atualmente existirem créditos à habitação com taxas de juro em mínimos históricos e, por outro lado, a estabilidade de um imóvel como investimento em relação a outros ativos, num momento em que o nível de poupança também subiu em termos médios. Esta decisão de investimento no mercado imobiliário poderá levar a um aumento do número de casas para arrendar no futuro e a uma possível descida nos preços.”

Procura de casa para comprar

Segundo os dados, praticamente metade dos inquiridos que procuram casa para comprar, já são proprietários de uma casa (42,3%), enquanto 9,6% possuem duas casas, 3,1% afirmam possuir três casas e 3,7% são proprietários de mais de três casas. Já 41,3% indicam que não são proprietários de nenhuma casa.

tipologia de casa mais procurada consiste num imóvel com, pelo menos, dois quartos e com um preço compreendido entre os 100.000 euros e os 200.000 euros. Quanto às necessidades de financiamento, a maioria necessita de um crédito à habitação entre 50% e 80% do valor da casa.

Em termos de localização, o interesse na compra de casa limita-se ao mesmo município de onde residem (50%), enquanto 25,6% procura noutro distrito e 24,4% procura em outras cidades do distrito de onde habitam.

E a compra de habitação, tal como se pode apurar a partir dos resultados, tende a ser um processo longo, visto que 32,4% dos inquiridos está à procura há mais de um ano. Apenas 11,1% iniciou a procura há menos de um mês, 18,3% varia entre 1 e 3 meses, 21,2% demora entre 4 e 6 meses e uma fatia de 17% dedica entre 7 e 12 meses.

O inquérito realizado pelo idealista também mostra o perfil sociodemográfico das pessoas que se encontram no processo de compra de casa. São na sua maioria do género feminino, entre os 36 e os 45 anos, vive em casal, tem filhos e contrato de trabalho por tempo indeterminado.

Procura de casa para arrendar

No que se refere ao arrendamento, 77,4% das pessoas que procuram casa afirmam que não são proprietárias de nenhum imóvel para habitação, enquanto 16,3% reconhece que dispõem de uma casa. Já 4% dos inquiridos indica que têm duas casas como propriedade, enquanto 1,1% possui três e 1,2% mais de três.

tipologia de casa mais procurada para arrendar consiste num imóvel com, pelo menos, dois quartos e com um preço compreendido entre os 450 euros e os 600 euros por mês. Na sua maioria, pretendem destinar ao arrendamento entre 25 a 35% dos seus rendimentos.

O interesse pelo arrendamento limita-se ao mesmo município de onde residem (63,4% do total), enquanto 18,4% procura em outras cidades do distrito de onde residem e 18,1% procura noutro distrito.

E no caso do arrendamento, o processo para encontrar um novo lar é muito mais rápido do que na compra, visto que 15,2% os inquiridos está há menos de um mês à procura. Ainda assim, 28,4% dos inquiridos respondeu que iniciou o processo de pesquisa entre 1 a 3 meses antes, 24,4% começou a procurar 4 a 6 meses antes, 13% entre 7 a 12 meses antes. Por último, 18,9% dos inquiridos está há mais de 12 meses à procura.

O inquérito realizado pelo idealista também mostra o perfil sociodemográfico das pessoas que se encontram no processo de procura de casa para arrendar. São na sua maioria do género feminino, entre os 46 e os 55 anos, vive em casal, tem filhos e contrato de trabalho por tempo indeterminado.

Metodologia. Para a realização deste estudo, o idealista utilizou 2.131 respostas ao inquérito realizado durante o mês de janeiro de 2021 aos utilizadores com pesquisas guardadas, tanto de imóveis à venda como para arrendar. Consulta os resultados do inquérito (de forma interativa) neste link.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: